Nem só dos Doces Barbaros (Gal, Bethânia, Gil, Caetano) vive a MPB que vem do Nordeste. Estes álbuns Cantoria, de inestimável valor histórico, expuseram um estilo mais rústico e muito lírico. Os “cantadores” — como gostam de ser chamados — dessa safra não pararam de inovar aqui e tem grandes trabalhos solo que valem a pena serem conhecidos (veja links no final da página).

Da linhagem de Xangai, Vital, Jatobá, Elomar e Geraldinho vêm artistas mais recentes como Elba Ramalho, Zé Ramalho e Alceu Valença. Apesar de muitos terem inveredado mais tarde pela linha do Forró com excelência, sua série de álbuns O Grande Encontro é inspirado nestes Cantoria 1 e 2.

Conheci Cantoria quando estava na faculdade, no começo da década de 1990, numa fita K7 anônima de um cara da Biologia. Adorei, pesquisei mais, catalisei e conspirei para que todo o campus conhecesse estes titãs da MPB.