Muito difícil escolher um álbum que se sobresai na extraordinária discografia da Joyce. Mas talvez este seja o melhor entre todos eles, principalmente para os amantes da MPB mais “roots”.

Todas as canções são belíssimas, contém melodias originais e sensíveis (todas da Joyce). Canções como Quarup e Todos os santos, de tons interioranos ou mineiros, provam que Joyce sabe cozinhar com sabores mais regionalistas do que o eixo Jazz-Bossa Nova onde ela já é consagrada rainha.

Créditos e ficha técnica deste álbum no site da Joyce ou no MusicBrainz.